Ética e Lei

Segundo orientações do NTSV (Norma Técnica Setorial Voluntaria para a Teoria Holística - TS OO3/ Terapia em Sincronicidade - Reiki) da categoria dos Terapeutas Holísticos, a Terapia Reiki é considerada como “Terapia em Sincronicidade”, pois se distingue dos demais terapeutas por atuar junto ao seu cliente sem a obrigatoriedade do contato físico direto, sendo que em algumas situações nem sequer é necessária a presença do mesmo (Reiki a distancia).

A técnica Reiki é considerada Terapia Complementar e nenhuma Associação de Reiki tem reconhecimento válido pela OMS, pois a Terapia Reiki não é considerada uma prática médica.

O Sistema Karuna Reiki, embora seja o único Sistema de Reiki que emite material e certificado com número de registro, diretamente de Michigan, EUA, também não é reconhecido como Terapia Médica Alternativa.

Existem mestres independentes que não são filiados a nenhuma Associação. Eles trabalham com a mesma Energia Vital Universal, praticam e ensinam da mesma forma a técnica Reiki. Portanto, o praticante ou mestre de Reiki não necessita ter vínculos com nenhuma instituição, associação, seita, religião ou mestre, pois isso não o torna um praticante ou mestre melhor do que outros.

Ainda não há legalização específica para o Reiki no Brasil, existe sim um Decreto em andamento para tal. O que torna um bom Reikiano e um bom Mestre, é o máximo de conhecimento obtido principalmente no primeiro Nível de Reiki; o estudo constante; a prática constante da técnica, e principalmente a sua crescente busca de aprimoramento pessoal. Sem isso, nenhum certificado o qualificará como bom terapeuta ou mestre. Não há necessidade sequer, de se fazer os vários níveis de Reiki com o mesmo mestre.

A ONU recomendou Reiki para o tratamento da dor em junho de 2007 - O documento “WHO Normative Guidelines on Pain Management” (”Diretrizes Normativas da OMS para o tratamento da dor”), publicado em Genebra em Junho de 2007, assinado pela consultora da OMS Prof. Neeta Kumar, página 33, do Anexo 5, a  OMS-Organização Mundial da Saúde indica a Terapia Reiki para o tratamento da dor (assim como acupuntura, músicoterapia, fitoterapia, orações). Veja o documento, em inglês,  no seguinte link:

http://www.who.int/medicines/areas/quality_safety/delphi_study_pain_guidelines.pdf

Atraso da Europa - O Brasil levou 24 anos para reconhecer a profissão depois da recomendação da ONU, mesmo assim ainda está na frente de muitos países, inclusive países europeus como Portugal, cujo governo simplesmente ignora esta técnica e as demais terapias holísticas, e por isso há muita desinformação e aproveitadores por lá, segundo inúmeros e-mails recebidos por esta Associação de cidadãos portugueses.

Falsificadores - No Brasil há indivíduos que trabalham dia e noite para falsificar a técnica, vendendo falsos certificados e prometendo iniciações à distância (que não existem), e “criadores” de sistemas que chamam de Reiki — o que é impossível. Esta técnica não é corruptível. Há sites internacionais que vendem diplomas de “mestre” e há pessoas no Brasil que adicionam a seus currículos essas “técnicas”.

Brasil - 2007 - Finalmente, em janeiro de 2007, o Ministério do Planejamento e Gestão tomou uma atitude já que o Ministério do Trabalho e Emprego, que deveria tomar, nunca tomou. Publicou o novo código da profissão chamada Serviços de Reiki.